Como podemos olhar (e nos relacionar com) a diferença? – New York, just another city (2019) e Teko Haxy – ser imperfeita (2018)

New York, just another city e Teko Haxy – ser imperfeita André Lopes e Joana Brandão // Patrícia Ferreira Pará Yxapy e Sophia Pinheiro IX CachoeiraDoc – Festival impossível, curadoria provisória Por Lorenna Rocha Aceitar as diferenças é certamente perturbar a hierarquia da escala. “Compreendo” tua diferença quer dizer, eu a coloco em relação sem…

| Terror Colonial | Terror Suprarreal | Terror Intrarreal |

Por Bruno Galindo Revisão: Lorenna Rocha 30/03/2020 Terror Colonial Antes de iniciar os caminhos desse texto é importante limpar alguns conceitos para que os apontamentos e considerações tenham o mínimo de ruído possível, sobretudo no que se refere às ideias sobre “trauma colonial” e “grande trauma colonial” que surgirão associadas exclusivamente às dimensões de imagem…

Quando conceitos não dão conta da carne

Por Bruno Galindo Nos últimos quatro anos, desde que comecei a escrever no finado blogspot até estar no terraço de um hotel no RJ, tudo por conta do cinema, sempre há um momento do ano em que entro em crise, mesmo, encruzilhada, fico papo de um mês pensando se sigo ou não, se meto marcha…

Um belo inventário sobre a esquerda branca – Fim de Festa (2019)

Por Lorenna Rocha Revisão: Bruno Galindo O som da moto que ecoa no início da sessão de Fim de Festa, no Cinema São Luiz, pode ser uma alegoria para algo que está de passagem. É o fim do Carnaval, no Recife. Corpos pretos sobre a tela. Dançantes, alegres, sinônimos de festividade… OK. Corta. O corpo…

Mais uma vez: o estereótipo da mulher preta guerreira – Trindade (2020), de Rodrigo Meireles – Cobertura 23 Mostra de Cinema de Tiradentes

Por Lorenna Rocha Ensaio reducionista sobre os traumas de uma mulher preta. Essa é a frase que poderia resumir minhas impressões e sensações ao assistir “Trindade” (2020), curta-metragem mineiro de Rodrigo Meireles. O documentário protagonizado por Maria Trindade da Costa costura depoimentos dessa mulher idosa e negra de pele retinta para construir um discurso de…

Parasita e o Fim da Era Humanista – Parasita (2019)

Por WILLIAM OLIVEIRA Em 2016 o historiador Achille Mbembe escreveu um artigo de título fatídico: “A era do humanismo está terminando”. Nesse texto o pensador pós-colonial prevê que nos anos seguintes àquele os problemas humanitários do mundo se intensificariam: a tensão racial nos EUA continuaria com sua escalada de violência, a natureza iria ser destruída…